11/04/2017

UTERQUE | OS MEUS MUST HAVE

Costumo dizer que quem me quiser presentear sem errar, é entrar na Uterque e escolher qualquer peça (faço isso muitas vezes com o meu namorado!☺). É daquelas lojas onde entro e costumo gostar de quase tudo. E se não gosto, é porque não faz o meu estilo, não porque ache feio. Há ali todo um cuidado na selecção de artigos, todo um bom gosto que eu admiro muito numa marca. Portanto, hoje apeteceu-me fazer um apanhado de algumas peças que adoro e que podiam facilmente ser minhas.  


Eu tenho uma paixão por box clutches. E se tiverem um apontamento divertido, melhor ainda. Tenho algumas na minha colecção, mas não me importava nada de incorporar este modelo em acrílico, com um design super giro. Desconstrói os looks mais sérios e, por ser preta, permite fazer mil e uma combinações. 

  
A febre das mules não me atingiu ainda como há uns anos atrás (usei muuuito!), mas imagino-me perfeitamente a usar este modelo no verão. Adoro o tom metalizado e ficariam perfeitas combinadas com calças cropped, vestidinhos mais cool ou, até mesmo, com jeans (calças ou calções) de estilo boyfriend.


Um vestido branco é must have total nas temporadas mais quentes. Este é um caso sério de amor por ser midi, por ter decote off the shoulders e por dar para adaptar a um sem fim de estilos. 


Os brincos em tamanhos maxi estão aí novamente e este modelo parece-me muito interessante para os looks de verão. É divertido, colorido e tenho a certeza que ficaria o máximo em looks pós praia com a pele bem morena!


Um macacão estilo camiseiro que me parece perfeito para a meia estação. É chique e muito elegante. Para usar com saltos ou rasos.


Ando a querer muito uns óculos de sol neste estilo mais "diva". Gosto do modelo, só não compro porque tenho "pavor" a que as lentes prejudiquem a vista! Opiniões?


Oh meu deus! Que calças maravilhosas! Modelo, cor, material! É uma peça com uma personalidade brutal, que faz completamente um look. Se não custassem mais e 200€ euros era pessoa para "me atirar".


Tal como o vestido branco que mostrei em cima, este é um tipo de top/blusa que toda a gente deveria ter no armário. Eu tenho algumas mas esta parece-me especialmente gira! 


Pérolas, o que eu gosto de pérolas.! Há quem pode achar antiquado, eu penso que são intemporais. Ficam sempre bem, especialmente em looks mais descontraídos, para dar aquele toque mais especial. Esta bracelete parece-me o cúmulo de gira, com as aplicações em dourado e verde a dar-lhe uma graça tremenda. 


Se conhecem mais ou menos os meus gostos, sabem de caras que estas bailarinas de ponta bicuda fazem-me brilhar os olhos. Adoro o tom azul marinho, adoro as aplicações de pedras e usaria tal qual como na imagem, com calças de pele. E com vestidinhos, com shorts, com cullotes, ou seja, com tudo!


Já no verão passado tinha ficado "vai que não vai" com uma viseira deste género. É a alternativa mais do que perfeita para os chapéus de estilo panamá ou de abas largas. Neste modelo, adoro especialmente o contraste entre a "palha" e as pedras. Chique, chique!



O que acham da minha selecção?
Ficariam com alguma coisa? ☺

10/04/2017

ADEUS COLLANTS!



Eu espero que seja verdade! 

Pelo menos aqui em Alicante tudo aponta para isso. As boas temperaturas já chegaram e agora é só mesmo subirem mais um bocadinho para o tempo ficar perfeito. Normalmente, depois da Páscoa é muito difícil termos frio, portanto, quando chegar de Portugal (vou estar nas duas próximas semanas), conto já com calor à minha espera.

Este é um dos primeiros looks do ano sem collants. Ainda com peças de meia estação, como os botins e a bomber e eu a reparar que preciso urgentemente de um bronze! :)

Espero que gostem e que tenham uma excelente semana (santa)!  




LOOK
Saia Mango SS'17 | Botins Massimo Dutti SS'17 | Gargantilha Parfois SS'17 | Mala Purificación García SS'17 | Bomber e t-shirt Zara (outras temporadas) | Cinto H&M (outras temporadas)






06/04/2017

USO E RECOMENDO | LÂNCOME GÉNIFIQUE YEUX LIGHT-PEARL



A área do meu rosto com a qual tenho mais cuidado é os olhos. É a parte mais sensível ao envelhecimento e, por isso mesmo, exige uma atenção redobrada. Há uns meses, movida pela curiosidade sobre esta linha da Lâncome - a Génifique -, da qual só ouvia falar bem, decidi testar este sérum iluminador do olhar e como estou a gostar tanto, só fazia sentido vir cá dar-vos a dica! 

Para além de reduzir as rugas, olheiras, patas de galo e bolsas, tudo problemas que a idade acentua, ele ilumina de uma maneira impressionante toda a zona dos olhos, dando-lhe um aspecto fresco, luminoso e, muito importante, hidratado. E garanto-vos que funciona (sem milagres, porque já sabem que eles não existem!). 

O aspecto diferenciador do produto está, também, no aplicador 360º Light Pearl, que através de uma pequena pérola de metal nos proporciona uma aplicação mais efectiva e refrescante.


Conclusão: Muitas vezes, questionamo-nos sobre a relação custo/benefício de alguns produtos mais caros, nomeadamente de beleza e maquilhagem, sobre se vale ou não a pena investir tanto dinheiro quando temos outras opções bem mais baratas no mercado. Como tudo, esta é uma questão muito subjectiva e depende de cada um mas, pela minha experiência, posso assegurar-vos que o investimento tem-me resultado mais efectivo. Vejo realmente mais resultados e, portanto, para mim faz todo o sentido apostar. E nunca se esqueçam que a nossa pele é o nosso maior órgão, e o único que está visível!


Yeux Light-Pearl custa à volta de 50€ e está 100% aprovado!



05/04/2017

GUILTY PLEASURE | SCANDAL



Bastou-me três ou quatro episódios para que SCANDAL entrasse directamente na categoria dos meus prazeres inconfessáveis. Bem, na verdade, de inconfessável não tem nada. Eu diria um prazer culpável do qual não consigo livrar-me. 

Dispensa apresentações. Se gostam de Anatomia de Grey, têm aqui uma forte candidata a fazer-vos as vossas delícias. Além disso, é da mesma autora, Shonda Rhimes, por aí já podem imaginar o que vos espera.






A história: Olivia Pope é uma ex-directora de comunicação da Casa Branca que decide criar o seu próprio gabinete especializado em gestão de crises. Os clientes são a poderosa elite de Washington cujos problemas - pessoais ou profissionais - a protagonista resolve com uma mestria que faria corar a CIA inteira.

Na sua equipa de gladiators, como eles de auto-apelidam - temos advogados, temos detectives, temos hackers, temos um ex-agente secreto que se encarrega de fazer o trabalho sujo. Eles não perguntam, actuam. Não questionam, obedecem. Saibam o que saibam, vejam o que vejam, eles guardam para si. Respeitam-se entre eles e não importa qual deles é o mais fora de lei - disso vamo-nos apercebendo lentamente. Para terem uma ideia, deixo um dos "chavões" de Huck, um dos gladiators com um passado mais complexo: "Se queres matar alguém com segurança, fá-lo tu próprio".




Resolução de escândalos à parte, o eixo central da série, e onde todos os caminhos vão dar, é o affair entre Olivia Pope e o próprio presidente dos EUA, Grant Thomas Fitzerald III, a quem ajudou a ser eleito. No meio desta paixão avassaladora, temos uma primeira-dama resignada mas com pretensões políticas bem vincadas (e qualquer semelhança com os Clinton não é coincidência). Uma mulher traída, por quem deveríamos sentir simpatia ou solidariedade, mas que os guionistas fazem tudo para que odiemos (pelo menos na primeira temporada, porque depois, a coisa muda de figura). 





Este é dos pontos curiosos: como é que os argumentistas se arranjam para que desculpemos deslizes e falhas éticas dos personagens, quando num mundo real tais acções seriam condenáveis. Mas para mim está aí a graça: para realidade, já temos a nossa. Por isso, deixem-nos sonhar!





Com SCANDAL Shonda Rhimes propõe-se, mais uma vez, a elevar ao máximo o nível "de agarre" a que já nos tem habituados com outras séries. Num ritmo alucinante, ela explora um JFK contemporâneo com a sua Marilyn, ela fala de uma mulher com mais poder e inteligência do que a CIA inteira (Olivia Pope), ela dá-nos escândalos, tentativas de assassinato, conspirações, fraudes eleitorais, ou seja, tudo ingredientes que nos fazem esquecer da qualidade duvidosa da série e nos faz querer devorar cada episódio com uma voracidade como eu nunca tinha sentido. São histórias que fogem muitas vezes de toda a lógica e coerência realista, onde todos os personagens cometem delitos de todo o tipo, alguns dos quais merecedores de pena de morte, mas que na série isso não importa nada. O que importa é que nós, telespectadores, quais carneiros adestrados, ficamos pegados ao ecrã mortinhos por saber qual o próximo trunfo que os guionistas vão tirar da manga.      





OLIVIA POPE

Bonita, poderosa, profissional, independente, ambiciosa e negra. Kerry Washington dá vida a este personagem que todos adoram, Olivia Pope, a primeira protagonista negra da televisão americana em quase 40 anos. E que ainda se torna num ícone de estilo. Tudo porque em cada capítulo Olivia Pope muda 20 vezes de roupa, um vestuário muito elogiado por aí fora mas que, na minha opinião, não é para tanto. Tirando os casacos e os vestidos de noite, que são de facto estonteantes, o resto do guarda-roupa parece-me aborrecido. O de SUITS dá-lhe 20 a 0 (vejam aqui).   




Olivia Pope veste quase sempre de cores neutras, adora um black and white, umas luvas até ao cotovelo e nunca dispensa uma boa mala XL, quase sempre Prada. Os casacos e os vestidos de gala são, de facto, a grande mais-valia no estilo da protagonista




Estilo à parte, Olivia é a alma, é fria mas tem o ponto fraco de cair de amores pelo presidente. Tem uma mente ágil, move-se com destreza entre interesses e desejos. Para ela, a palavra cliente é o final de qualquer dúvida. Não lhe importa quão baixo ou sujo seja o assunto a tratar, ela é a melhor e vai resolvê-lo. No entanto, ao longo dos capítulos vamos chegar facilmente a uma conclusão: mesmo que o teu trabalho seja resolver os problemas dos outros, assegura-te de que tens os teus sob controlo, não vá chegar uma Shonda Rhimes e construir uma história com isso. E das boas. 



"OLITZ" e Jake



Eu tenho de confessar. Esta é a razão pela qual estou completamente viciada em SCANDAL. A relação "quero-te aqui e agora" entre Olivia Pope e o presidente Fitzgerald. Uma relação com uma química brutal entre os actores, que passa por todo o tipo de fases, ainda que a maior parte das vezes tudo termine em cenas escaldantes num canto da Casa Branca, a escapar dos Serviços Secretos. Uma constante da série, e que não deixa de ser curioso, são os banhos de chuveiro do presidente com a primeira-dama, que despreza mas que o apoia, ou com a amante, que adora.

E o engraçado de tudo isto é imaginarmos semelhante pessoa a governar o país mais poderoso do mundo, quando a sua principal preocupação é estar com Olivia Pope, deixando para segundo plano crises mundiais e outros problemas "menos importantes", que é como quem diz. 

Mas falta aqui alguém, porque uma grande história de amor não estaria completa sem a outra ponta do triângulo. Aí está Jake, o agente secreto atraente que também venera, como não, a nossa protagonista. Há quem torça para os dois ficarem juntos, não é o meu caso, eu sou absolutamente team olitz. Está mais do que provado que a química entre os actores Kerry Washington e Tony Goldwyn é muito mais convincente, e olhando para eles nem parece que quase 20 anos os separam. Portanto, um grande GO para Olivia Pope e o presidente!  





Apesar de todas as debilidades da série - que são muitas - não podemos ignorar que SCANDAL é atraente, é complexa, é ambígua e é surpreendente. Para mim, incontestavelmente um prazer que me deixa alguma culpa mas, ainda, assim, um prazer. E dos prazeres só podemos retirar coisas boas!

O bom é que vai na sexta temporada e já está garantida uma sétima! 

04/04/2017

OESTE




Hoje deixo uma sugestão em português. Na verdade, é uma sugestão de uma leitora, um "presente" lindo que decidiu partilhar comigo no dia do meu aniversário. Obrigada pelo gesto, significou muito! ❤


Vocês sabem que quando gosto, gosto mesmo. Sou chata, insisto, oiço, vejo, revejo, numa adoração que às vezes pode resvalar para o "enjoo", mas o "Oeste" de Valter Lobo não tem sido o caso, pelo menos até ao momento. Também tenho os meus momentos de lucidez para dizer um basta e deixar "descansar" a coisa, portanto, prometo-vos que quando ficar saturada desta música pararei. Porque mais tarde vou querer voltar a pegar nela.  


Deleitem-se, porque este é um caso de deleite! A letra é muito especial, como podem ver por este trecho do refrão: 

"Só de te abraçar sinto que a música altera, o meu corpo altera, o mundo altera"...